Nascida e criada em Portugal. Já morei na Polónia, no Brasil, na República Checa e agora é a Suécia que me acolhe.
O meu blogue, tal como o meu cérebro, é uma mistura de línguas. Bem vindos!

Born and raised Portuguese. I have lived in Poland, Brazil, Czech Republic and now I'm in the beautiful Sweden.
My blog, just like my brain, is a blend of languages. Welcome!

quinta-feira, 13 de abril de 2017

You got to love Sweden...

... but not always.

If you ask any Swede about bureaucracy they will tell you that it is terrible in Sweden. It's not. Everything works reasonably well and that's noticeable if you compare it with most other countries. However, bureaucracy is still bureaucracy. Mistakes can happen leading to funny/weird/stupid situations. Even in Sweden. Like this one.

Johan, who is Swedish, went to the dentist. A week later he got a letter from the social health care (or whatever försäkringskassan is called in English), in which was required that he presented proof from the migration office that he is allowed to live in Sweden. 

Our best guess is that they couldn't find him in the system, although he never had problems when he went to other doctors, assuming immediately that he was a foreigner due to one of his names being German.

He laughed and cried at the situation! What? I am Swedish! Where will you deport me to if I don't show this document? To Sweden?

Perfection doesn't exist after all...



Se perguntarmos a qualquer sueco sobre burocracia sueca eles vão responder que é terrível. Não é. Tudo funciona razoavelmente bem e isso é perceptível quando se compara com muitos outros países. No entanto, a burocracia será sempre burocracia. Erros acontecem levando a situações engraçadas/estranhas/estúpidas. Até na Suécia. Como este caso.

O Johan, que é sueco, foi ao dentista. Uma semana depois, recebeu uma carta da segurança social (ou seja lá o que for försäkringskassan em Português), onde lhe era pedido que apresentasse um comprovativo dos serviços de emigração em como estava autorizado a viver na Suécia.

É provável que não tenham encontrado o nome dele no sistema, por erro claro, porque ele nunca teve problemas quando foi a outros médicos, e que tenham assumido imediatamente que ele era estrangeiro uma vez que um dos sobrenomes é alemão.

Ele riu e chorou com a situação! O quê? Eu sou sueco! Deportam-me para onde se eu não mostrar este documento? Para a Suécia?

Afinal a perfeição não existe...

2 comentários:

  1. Giro. Adorei o relato. Muita burocracia mas também alguns segurança.
    Kis :=}
    Feliz Páscoa

    ResponderEliminar

Adorava saber das vossas voltas. Escrevam!
I would love to hear more about you. Feel free to comment!